Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas à Mesa

Ovos moles de Aveiro

Os motivos são de pintainhos, borreguinhos, coelhinhos e não apenas as tradicionais formas marinhas.

 

Perdoem-me a bem intencionada blasfémia, mas se as hóstias da Eucaristia tivessem recheio de ovos moles de Aveiro, a Igreja Católica não estaria decerto com falta de presenças na missa.

São um dos melhores doces feitos com ovos, talvez pela simplicidade absoluta da utilização de dois produtos apenas: gemas e açúcar, havendo quem lhes junte uma pitada de canela no fim. Não falando claro nas eventuais aldrabices que lhe introduzem farinha de arroz ou água da sua cozedura, para lhe aumentar o rendimento e a espessura textural. Segredos parece haver apenas dois: os ovos moles nunca se devem mexer em círculo, mas sempre em linhas direitas, de um lado para o outro, e a paciência deve ser em grande quantidade para não apressar o doce. Parece impossível como se pode chegar ao céu com tão pouco. 

 

 

Colocado em ponto de bola rija, o açúcar mistura-se já frio com as gemas batidas com uma faca. Voltam ao lume com cuidado e paciência.

 

Os ovos moles têm, claro origem conventual, das mãos contemplativas das Carmelitas que os criaram no século XIX. Não consigo decidir do que gosto mais, se de os comer às colherzinhas directamente da típica barriquinha pintada com os tradicionais motivos marinhos, se envolvidos nos moldes de hóstia. Já na eterna luta entre o chocolate e os doces de ovos, não tenho qualquer dúvida: para mim ganham sempre os doces de ovos. Há quem goste de os acompanhar com vinhos doces, como o Porto ou o Madeira, mas tenho para mim que a melhor companhia líquida é a simplicidade da água bem fresca, quase gelada.

 

 

Estes moldes vêm juntos em folhas de 12.

 

Antigamente, os moldes eram feitos pelos próprios fabricantes através da aplicação de formas sobre as folhas de hóstia; hoje esse trabalho é feito industrialmente e os desenho já não se limitam aos motivos marinhos a relembrar a ria e o mar, como podem ver nas fotografias. Está também em desuso envolver a hóstia em calda de açúcar, porque esta acaba por fazer sentir uma textura granulada na boca.

Estes que vos mostro são muito bons, dos melhores que tenho comido. Tenho pena, mas só lhes posso dizer que os comprei em Ílhavo. Se quiserem mais pormenores, só mais em privado.

 

 

 


13 comentários

Comentar post