Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas à Mesa

Fim-de-semana em redor de Montemor-o-Novo 1ª parte

 

 

O hotel L'AND Vineyards, em Montemor-o-Novo (foto do site)

 

 

 

Hoje a minha proposta é alargada: um roteiro para passar 2 dias no Alentejo num belíssimo hotel integrado na natureza, comer bem, passear, comprar produtos da região e ainda mergulhar no passado.

 

  

Dia 1 

 

 

Rumemos então a Montemor-o-Novo, viagem que de Lisboa demora menos de 1 hora. Vindos da A6 há que sair para Montemor-o-Novo, na direcção do hotel L’AND Vineyards  (N 38º 38' 44" W 08º 14' 50"). Ver site do hotel.

 

  

 

O hotel bem integrado no meio da paisagem de vinhas

 

 

 

Muito bem integrado na paisagem, insere-se num espaço dedicado à vinha. Nos jardins que rodeiam os quartos há pequenos espaços-amostra das diversas variedades de vinha da região e na cave do hotel situa-se a adega que serve todo o complexo. Para relaxe total há ainda um spa de vinoterapia da Caudalie.

 

 

 

A "minha" sala e o "meu" tanque exterior
Foi considerado pela revista Travel & Leisure de Junho como um dos 50 melhores novos hotéis em todo o mundo. O espaço com decoração minimalista, mas muito calorosa, é à base de xisto e belíssimas madeiras. Os quartos não são quartos mas sim pequenos apartamentos com espaços exteriores próprios e que dão para uma lindíssima charca. O “meu” tinha grande sala com todas comodidades (nomeadamente duas coisas óptimas: máquina de café e wireless), casa de banho gigantesca, lareira exterior e um tanque no meio de um jardinzinho de papiros que podemos encher com água quente ou fria. 

 

 

 

 

A mesa do pequeno-almoço é deslumbrante

 

  

 

Produtos da região aligeirados por acompanhamentos vegetais. Experimentei as burras e o cachaço de porco de raça alentejana, ambas primorosamente estufados, sem recurso a vácuo. Os acompanhamentos do cachaço são os legumes miniatura e o das burras, a abóbora. Ambos aligeiram a tradição e completam pratos com muito sabor e profundas raízes tradicionais.

 

Para abrir

 

 

 

 

 O surpreendente gelado de betarraba com o respectivo crocante

 

    


 

            Degustação de doces conventuais

 

  

As sobremesas foram uma boa surpresa, sobretudo o mil folhas de requeijão e maçã verde com um fresquíssimo gelado de beterraba, cuja doçura natural e sabor a terra ganham muito na textura fria. Bem conseguida a degustação de doces conventuais com espuma de sericaia, gelado de arroz doce e folhinhas de poejo. O restaurante tem um menu de degustação e outro vegetariano e proporciona provas de vinho.

 

 

O observatório das estrelas sobre a cama

2 comentários

Comentar post