Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Conversas à Mesa

"Os Mistérios do Abade de Priscos" e muitos outros

Um pudim de ovos com toucinho é a mais conhecida, e única obra de um pároco de uma aldeia minhota, escrita e cozinhada de cor há mais de 100 anos, pelo palato de milhares. São 15 gemas de ovo, uma calda de açúcar com 50 gramas de toucinho fresco e vinho do Porto, uma forma forrada com caramelo, uma hora ao lume em banho-maria – paciência e gulodice – e já está! O seu criador foi Manuel Joaquim Machado Rebelo, mais conhecido como Abade de PriscosUm homem de alguns mistérios, um deles, o desaparecimento do livro de receitas que pensava publicar no final dos seus dias….

 

O livro que tem entre mãos não é um livro de história, nem tão pouco um livro de receitas, mas sim um livro onde o crítico gastronómico Fortunato da Câmara, nos conta, depois de uma exaustiva e original pesquisa, histórias desconhecidas e curiosidades apetitosas de algumas iguarias, pratos, ingredientes que estamos habituados a degustar, com prazer no dia-a-dia, sem questionar o porquê da sua designação, a sua origem geográfica ou as figuras a eles ligados.




Assim fala do seu novo livro o meu amigo Fortunato da Câmara, homem de muito saber e rectidão de quem muito se espera nesta área da gastronomia. O lançamento do livro será no dia 11 de Abril e estou cheia de curiosidade para nele descobrir estas pequenas histórias. No caso do Abade de Priscos sei que ele foi beyond the call of duty para nos poder esclarecer. A não perder. 




Da badana da capa:

Fortunato da Câmara Nasceu em 1977 na cidade de Lisboa. Frequentou o curso de Produção Alimentar em Restauração da Escola Superior de Hotelaria do Estoril. Com o aparecimento do Semanário SOL em 2006, iniciou-se na escrita de gastronomia colaborando no guia Essencial como crítico de restaurantes e cronista de história da alimentação. Foi responsável pelas rubricas “Acabado de chegar”, “Baú de sabores” e “Encontro de Tradições”, tendo assinado igualmente trabalhos na área de gastronomia para a revista Tabu. Entre 2009 e 2011 assinou a rubrica “Na rota das iguarias”, crónica semanal sobre história da alimentação na rádio SIM, do grupo Renascença. O seu primeiro livro, “Alimentos ao sabor da história – receitas e curiosidades” (Colares Editora), foi distinguido nos Gourmand World Cookbooks Awards como o melhor de Portugal em  2011 na categoria “Culinary History”. Em 2012 concluiu em França o “Diplome Universitaire du Goût, de la Gastronomie et des Arts de la Table” organizado pelo Institut des Hautes Études du Goût em parceria com a Universidade de Reims. Actualmente é colaborador na área de gastronomia da revista Fugas do jornal Público.