Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Conversas à Mesa

O FORTALEZA DO GUINCHO AO LONGO DO TEMPO

Orson Wells em Guincho.JPG

 

 

 

 

A minha amiga Conceição Martins passou a sua infância na zona da Malveira da Serra. Recorda com saudade os aniversários dos 6 e 7 anos festejados com pais e irmãos na bateria da Alta, actual Fortaleza do Guincho, na década de 50: «Levávamos um tacho e os precisos, apanhávamos uns gravetos e uns toros de lenha, fazíamos o lume e a minha mãe cozinhava. Brincávamos por ali, dentro das muralhas e era um dia de felicidade.»

Nessa época, estava tudo em ruínas pelas quais muita história já tinha passado ao longo de mais de 300 nos. Embora tenha sido edificada em 1642, a bateria da Alta foi reforçada no século XVII, como parte de um conjunto de fortificações destinadas a proteger a nossa costa durante a Guerra dos Sete Anos. No século XIX, essas fortificações estiveram abandonadas e degradaram-se até ao surgimento de nova Guerra, desta vez a Liberal. Finda a refrega, voltaram a degradar-se até se transformarem nas ruínas onde Conceição Martins brincou em criança. Os seus oito anos já não puderam ali ser festejados, uma vez que a Bateria do Alto fora comprada em hasta pública, no ano de 1959, por D. Manuel de Portugal, que a reconstruiu totalmente e a transformou no Hotel do Guincho. Em 1975, o edifício foi adquirido por Stanley Ho, com o objectivo de o transformar numa residência sua, o que nunca chegou a acontecer já que, em 1982, foi considerado de interesse público. Até hoje, mantém-se na posse deste empresário chinês funcionando como hotel.

 

Em 1998, Antoine Westermann tornou-se consultor do restaurante, e Marc le Ouedec, o chef de cozinha. Em 2001, o restaurante ganhou a primeira estrela Michelin, que se mantém até hoje. Em 2004, é alterada a imagem decorativa do hotel, que perde o confortável ar inglês e se achinesa, saindo muito fora do gosto europeu. Hoje,  a decoração está um pouco menos oriental. Em 2005, Vincent Farges passou a chefiar a cozinha, que só deixou 11 anos volvidos para Miguel Rocha Vieira, deixando muitas saudades nos frequentadores do restaurante.

 

Achei curioso partilhar convosco uma série de fotografias de festas celebradas no hotel. É interessante ver a evolução do bom gosto decorativo e restaurativo em apenas 3 ou 4 décadas.

 

O meu obrigada à Petra Sauer, directora do Fortaleza do Guincho, por todos os documentos que me facilitou e pelos esclarecimentos. 

A foto de início é de Orson Wells na sala das damas do Fortaleza do Guincho.

 

 

brochura anos 70.JPG

 

 

 

brochura fim anos 70 , early 80.JPG

 

Brochuras do tempo do Hotel do Guincho, propriedade de Dm Manuel de Portugal a partir de 1959. Veja-se o «marketing» medieval que vendeu durante muitos anos o hotel. a primeira é do princípio dos anos 60, a segunda do fim de 70, princípio de 80.

 

 

 

Foto 1.JPG

 

Banquete medieval com os empregados de mesa vestidos à época e os cabritos assados no meio da sala situada no piso inferior. O hotel realizou durante várias décadas este tipo de festas inspiradas no facto de o edifício ser uma fortaleza.  

 

 

Sala das damas (anos 70).JPG

 

A sala das damas (junto ao bar), uma mistura de estilos rústico e inglês (década de 70)

 


Sala das damas (anos 80).JPG

 

A sala das damas (junto ao bar), em estilo inglês. Foi nesta fase que eu conheci o Fortaleza (década de 80)

 

 

Sala das damas 2016.jpg

 A sala das damas 2016

 

 

Foto 3.JPG

 

Mesa de casamento, com o bolo de noivo visível ao fundo.

Foto 4.JPG

 

Mesa de banquete com muitos mariscos, maioneses e outros molhos, salada russa, etc. A inspiração já era o mar.

 

Foto 2.JPGBuffet sincrónico: além do clássico peixe frio (robalo?) coberto por gelatina, enfeitado com maionese e rodeado de aspics, já estão na mesa um outro «peixe», a lampreia de ovos, uma tarte de maçã e saladas. Anos 80.

 

 

Foto Reveillon 1999 2000.JPG

 Ementa da Passagem de Ano e de Século: 1999/2000. Esta era a opção mais barata: 50 contos. O chef era Marc Le Ouedec e o consultor Antoine Westerman.

 

IMG_9540.JPG

 

Sobremesa de 2016, Miguel Rocha Vieira, que trouxe a cozinha portuguesa e inspirada no entorno para o Guincho.