Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Conversas à Mesa

VINTAGE NO SARAIVA’S

IMG_0038.JPGsaraiva's.jpg

 

 

 

Há restaurantes que valem sobretudo pela memória que deles guardamos ou pela época datada que transpiram por todos os poros. Em Lisboa, ainda há uns tantos assim, quase inalterados decorativa e alimentarmente. O Saraiva, numa perpendicular à Sidónio Pais e António Augusto de Aguiar é um deles, digno de uma romagem de saudade, para quem viveu a época dos anos 80, ou de uma visita de estudo, para quem ainda não andava nestas lides.

 

 

O Saraiva foi baptizado em honra de um conhecido restaurateur português, fundador também do Belcanto e do Lorde (da Vítor Cordon). Estes restaurantes eram frequentados por empresários. No caso do Belcanto (fins da década de 50, ppios de 60), o jantar era para homens de negócios com as suas companheiras de ocasião.

O Saraiva’s era famoso pelo seu bar, que ficava aberto o dia todo, o que hoje já não acontece por falta de procura. A ementa é a típica dos anos 80, sem qualquer promiscuidade com a modernidade. Nela se destaca um clássico, os «Ovos à professor» (9,5€), uma criação do famoso Professor Cid dos Santos, da Faculdade de Medicina de Lisboa, cirugião e grande investigador. O Professor, cliente assíduo destes três restaurantes, resolveu um dia ir para a cozinha e preparar um dos petiscos que costumava fazer em casa, uns ovos com pão frito e presunto. A receita agradou de tal modo, que pediram autorização ao Professor Cid dos Santos para incluir estes ovos na carta. Pensava eu, e muitos mais como eu, que esta cena teria tido lugar no Belcanto. À conversa com o actual gerente, asseverou-me ele que tudo se tinha passado afinal no Lorde e que ele pode contra a história em primeira mão, uma vez que estava lá.

 

 

IMG_0042.JPG

IMG_0046.JPG

 

Vale a pena ir ao Saraiva’s só pelos ovos à Professor, sobretudo após uma maratona de compras no Corte Inglès.

Comeram-se ainda à guisa de entrada umas boas pataniscas de bacalhau (que eram prato do dia por 14 €), seguidas por umas regulares costeletas de Borrego com batatas fritas e feijão verde. Outros pratos do dia: gaspacho (3,5€), Salmonetes à Setubalense (14€), Dourada no forno (14 €), Misto de carnes frias com salada russa (16 €, ficou-me aqui o coração por ter sido um clássico dos anos 70) e Lombinhos de Coentrada (14€). Há meias doses por volta dos 11 €.

A rematar, um carro de sobremesas do qual tinham desaparecido algumas presenças habituais. A opção foi para as trouxas de ovos, de boa qualidade.

 

IMG_0047.JPG

 

 

O serviço é à antiga, ou seja não tratam o cliente por você, cortês e eficiente.

Não deixe de pedir para ver a salinha de dentro, onde se conserva a decoração antiga, toda em azul petróleo, alcatifas e veludos. E não deixe também de ir mais cedo, para poder tomar uma bebida no bar, mas não peça um gin, vá pelo whisky. É mais vintage.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Saraiva’s

Rua Engenheiro Canto Resende, 3, Lisboa

213540609

Fecha à sexta à noite e ao sábado