Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas à Mesa

COMER O 25 DE ABRIL

 

 

 

 

 

 

 

Não há celebrações para nós portugueses que não passem pelos morfes. Porque a conversa flui melhor à mesa, porque comer em companhia é para nós um luxo, porque um copo de vinho solta as emoções. Aqui ficam algumas sugestões revolucionárias para duas refeições comemorativas em conta e uma menos em conta. 

 

 

 

A janela para a R. da Misericórida

 A vista do bar, para a R. das Gáveas

 

 

 

 

 

 

 

 A vista do bar, para a R. das Gáveas

 

O prato do dia: feijoada de lulas

 

Entre os 15 e os 25 euros

Almoço com os capitães

Associação 25 de Abril

Fica muito bem situada, em plena Rua da Misericórdia, do lado esquerdo e quem sobe. A casa de jantar é no primeiro andar, procure ficar numa mesa mesmo junto das belíssimas janelas que dão para a rua. Há pratos do dia e uma ementa fixa. Desta última consta uma empada de caça como entrada, bochechas de porco, de prato principal, entre outros. No dia em que estive, o prato fixo era feijoada de lulas, que estava apetitosa. A não perder, o bar onde se pode tomar um aperitivo e o café e, atenção fumadores, puxar grandes fumaçadas.  A vista do bar para a Rua das Gáveas é a não perder.

Os pratos principais ficam entre 10 e 15, o que não é barato para o tipo de restaurante, mas o cozinheiro tem mão e o ambiente é engraçado e os comensais sempre interessantes.

 

 

R. Da Misericórdia 95, 1º andar

1220-271 Lisboa

Fecha: Domingos

Telefone: 213241420

 

 

A cozinheira e proprietária, D. Helena
Antro de lampiões
Bochechas de porco com esparregado

 Bife com batatas e ovo

 

 

 

 

 

 

 

Defender a Paz em Abril

Restaurante A Paz

 

Casa familiar, herdado do pai do proprietário. Na cozinha está a esmerada e lindíssima Dona Helena, na mesa o pai e o filho. Há sempre pratos do dia (excepto à segunda)  que os habitués recebem por SMS. Há pratos vendidos à meia dose, suficiente para uma criatura de apetite médio. Refeição muito agradável, bom ambiente, muito dado ao vermelho da lampionagem, bem patente nas paredes.

O restaurante tem duas vertentes, a do peixe fresco e a da cozinha de tacho. Não se limitam a grelhar o peixe, também o cozem e fritam, opções cada vez mais raras num restaurante. A pescada cozida com todos é um prato muito nosso, muito saudável e rico em sabores, que deveria aparecer mais nos restaurantes de peixe. Aqui uma dose custa 13,80 euros, assim como a de peixe frito (meia dose, 10,00 euros). A pescada frita com arroz de feijão e feijão verde cozido estava como desejado, assim como as bochechas de porco com a batata frita aos quadradinhos e esparregado (prato do dia). O bife (12,80) da vazia cumpriu, como diria o José Quitério, acompanhado de belíssima batata frita às rodelas sequinhas e ovo a cavalo. A única sobremesa que provei, as farófias, foram uma desilusão. Como é possível num restaurante com uma boa cozinheira servir as farófias com um creme postiço de qualidade inenarrável?

 

 

 

 

 

Largo da Paz, 22 B

1300-450 Lisboa

Telefone: 213631915

Fecha: Feriados, Sábados e Domingos

 

 

 

 

 Janela para o mar/Tejo

 

 

 

 

 A bonita casa de jantar, notando-se a ausência do panejamento

 

 

 

 Salada de bacalhau com azeitona (amuse bouche)

 

 

 

 

 

Pastéis de massa tenra
Filetes de polvo com creme de espinafre
Favas com codorniz

 Chocolate e leite de noz

 

 

 

 

 

 

 

A partir de 30, com o prato do dia

Horizontes de liberdade em Abril

 

Inevitável - Vila Galé Paço de Arcos

 

Instalado no palácio quinhentista dos Arcos, que estava a cair da tripeça antes desta belíssima recuperação, o restaurante tem uma vista soberba para o Tejo/mar. O hotel tem como tema a poesia, não deixe de visitar o jardim e uma escultura muito especial que reúne à mesa vários dos nossos poetas.

O restaurante tem uma decoração agradável de casa abastada, com muitos óleos nas paredes. Um reparo para a desadequada e desagradável ausência de toalha, repousando talheres e pratos sobre a bonita madeira da mesa. Pode também almoçar-se no exterior. Eu escolhi uma mesa no interior mesmo em frente a uma porta para a varanda e para os magníficos horizontes de liberdade. Todos os dias há prato especial, que vai das favinhas com codorniz (quartas-feiras) aos pastéis de massa tenra (Domingos). Provei os dois: as favinhas muito apaladadas e bem puxadas, os pasteis de massa tenra bem, como a massa fina e o recheio em carapinha de carne, como compete, e não em pasta. Um reparo: de tamanho um pouco acatitado. Comi ainda os filetes de polvo: os tentáculos panados e crocantes acompanhados com creme de espinafre e tomate cereja. À sobremesa, uma deliciosa tarte de chocolate com leite de noz.

 

 

Largo Conde das Alcáçovas

2770-031 Paço de Arcos

Telefone: 210493200

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.