Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas à Mesa

DUMONDE, OU COMO TORNAR-SE UM CHOCÓLATRA

FullSizeRender.jpg

 

 

Numa recente ida ao Porto, que continua uma cidade maravilhosa, tive o prazer de visitar uma incrível loja que vende chocolate de todo o mundo. A decoração é espectacular, assim como a forma como os chocolates estão «catalogados» e apresentados. É fácil passar ali uma tarde a olhar as maravilhosas capas das tablettes e a provar amostras dos exemplares que generosamente nos são oferecidos.

 

IMG_0772.JPG

 

A loja, onde pode sentar-se a provar os chocolates sempre disponíveis para poder escolher antes de comprar

IMG_0773.JPG

 

São Jorge dos Ilhéus, chocolate de leite da Baía

Santa Cruz 70%, os dois da Chor

 

 

IMG_0774.JPG

Chocolates da francesa Chapon, sempe com embalagens cheias de fantasia. As lojas da Chapon têm ainda um famoso bar de mousses de chocolate de diversas origens. Cuba, Costa do Marfim e Peru

 

 

Esta loja que nos faz viajar pelo mundo das origens e dos sabores do chocolate chama-se Dumonde e foi criada em Dezembro de 2015 por um casal jovem e apaixonado pelo cacau, a Antonia Germanova e o Hugo Resende. A decoração é lindíssima. Gostei sobretudo do mapa mundo no tecto.

 

 

IMG_0782.JPG

 

 

Durante o tempo que lá passei, a casa foi-se enchendo de gente de todas as idades. Há chocolate para todos os gostos e de todas as origens, desde vários 100% cacau até ao de leite, passando pelos bonbons Denegro, do chef Antonio Marques. A nossa incrível viagem começa na América do Sul, passa pelo Vietname e acaba em África, através de chocolates de origem na sua maioria produzidos por produtores apaixonados, como os da Willie’s, que trocaram a sua vida em Londres por uma fazenda de cacau na Venezuela.

 

 

IMG_0775.JPG

Tabletes de chocolate Saudade, da Denegro

 

 

 

IMG_0777.JPG

Erithaj, uma empresa francesa baseada em Estraburgo que usa cacaus do Vietname

 

A minha escolha

 

 

FullSizeRender.jpg

Um Menakao 100% cacau, de notas cítricas, parte de uma colecção de chocolates de madagáscar cujas belíssimas embalagens trazem personagens típicos da região

 

 

 

Um Chapon do Peru, escolhido também pela belíssima embalagem

Um 100% cacau da Williie’s, com as magníficas favas de uma fazenda chamada Hacienda El Tesoro, na Venezuela. O Willie é um inglês que se apaixonou pelo cacau.

Um Cicada, uma empresa bean to bar da Austrália, que juntou o chocolate de Madagáscar ao café do Quénia.

Um Jordi's da República Checa com grãos de cacau, que lhe dão uma textura especial, ao mesmo tempo que reforçam o sabor.

 

 

IMG_1023.JPG

 

Uma prova interessante para quem começar no mundo do chocolate é experimentar estes dois 100% (só sólidos de cacau, nada mais). Não os trinque, deixe um pequeno pedaço derreter-se lentamente na sua boca. O da Willie´s tem aquela textura que sonhamos no chocolate, sedosa, que nos cobre a boca e se prolonga indefindamente, revelando sabores a frutos secos, a cascas de árvores, enfim, dando corpo a uma espécie de ideia do chocolate. O da Menakao tem uma enorme comlexidade de sabores que se vai revelando à medida que o deixamos derreter na boca. O que salta ao palato é o sabor frutado tão característico de Madagáscar, de vez em quando acompanhado de alguma adstringência.

Esta prova é ideal para perceber que o cacau é muito diferente de local para local.

 

 Dumonde

RUA DE SANTA TERESA Nº40
4050-537 PORTO
TEL: 22 319 5274

 

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.