Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Conversas à Mesa

FOOD TRUCKS NO TEXAS 2

IMG_6403.jpg

 

 

 

 

E, de repente, ali estou eu a travar batalha com a sandes mais alta que já comi, munida apenas de uma boca mínima (a minha boca é mesmo muito pequena), mas a enfrentá-la com garbo. A solução foi pegá-la de caras, com a sandes a roçar-se pelas bochechas e pelo queixo.

Este meu adversário alimentar foi adquirido num grande hub de food trucks perto do centro de Houston, na vizinhança do maior espaço comercial do Texas, a lindíssima The Galleria, onde pode encontrar lojas de topo (só vi as montras e até um pouco de longe...) e óptimos restaurantes (desde o Nobu ao Shake Shack). Mas eu, no seguimento da minha experiência em Tomball, estava mesmo determinada a experimentar comida de rua, mais propriamente de food trucks. Pois ali estavam eles, reunidos em dois grandes círculos como as carroças dos cobóis no Oeste Selvagem. Uns Tex Mex, outros hambúrgueres, outros misturas indiscriminadas de comida indiana com mexicana, com americana, com sul-americana, com sabe-se lá o quê. O que importa é que o resultado destas combinações seja saboroso. Há sempre gordura e temperos que asseguram o bom resultado. Depois de cuidadosamente ter avaliado todo o material em presença, decidi-me pelo food truck Clutch City Clickers, uma grande camioneta preta com línguas de fogo que vendia uma especialidade muito comum hoje em dia no Texas: sandes de frango panado entre duas waffles. Confesso que ia de faca afiada para detestar, mas gostei. Os pedaços de peito de frango estavam suculentos, protegidos por uma boa camada dupla ou tripla de panadura com sabor picante e com muitas especiarias q.b. (o grau de picante, que vai do extra ao sem picante, passando pelo médio e suave, era pedido na altura da compra). Vários destes pedaços acotovelavam-se no meio de duas waffles e faziam-se acompanhar por um cole slaw e por molho de origem indeterminada. Tudo é feito na hora, por isso chega bem quente e crocante até nós, após alguma espera. Como este parque não tem lugares sentados, as pessoas comem habitualmente dentro dos carros. Detesto comer dentro do carro, por várias razões, por isso resolvemos fazer um piquenique de bagageira aberta, estava sol e um pouco de frio e foi uma delícia. A sanduíche de waffle era espectacular, completamente aditiva, com o adocicado (pouco), o crocante do frango e a acidez do cole slaw. A informalidade da comida de rua dá felicidade ou, como diz a Marie Kondo, sparks joy.

 

 

 

 

IMG_6411.jpg

Os Tacos da Clickers

 

IMG_6408.jpg

Come-se não apenas com a boca, mas com a cara toda.

 

IMG_6401.jpg

As duas sanduíches de waffle e frango mais os tacos, tudo na bagageira do carro para o piquenique.

 

 

IMG_6389.jpg

IMG_6391.jpg

O Clickers, sobre o qual recaiu a minha escolha do almoço, por causa das waffles, e o respectivo menu.

 

c-AhmadKilani__1028cc713cc44dbb8a4491c28990a470_16

Ahmad Kilani, o dono de vários food trucks com a marca Clickers, e a mulher: toda a comida é hala (isto é, permitida pelo Corão)

 

 

IMG_6390.jpg

 

IMG_6393.jpg

Um dos trucks do tabaco, vaping e hookah.

IMG_6395.jpg

 

O buIMG_6396.jpg

Taco Dirty to Me, baseado no Talk Dirty to Me, vai na onda do nome deste food truck: bun slut. A qualidade dos pães é famosa.

IMG_6397.jpg