Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas à Mesa

MICHELINICES 2017

20072632_Jkef6.jpeg

 

 

Foi um bom resultado, o das estrelas do guia dos pneus deste ano. O número de restaurantes com 1 estrela subiu de 11 para 16, uma considerável expansão, enquanto os de duas estrelas, passaram de 3 a 5.

Nenhuma estrela se perdeu. A do L’And Vineyards foi recuperada (daqui saúdo o novo foco de Miguel Laffan). Os parabéns a todos os que contribuíram para este resultado, os chefs, as equipas e, last but not least, os proprietários.

O grande número de turistas que este ano rebentaram pelas nossas costuras entraram pelos olhos a dentro do Michelin que, para lhes vender os livrinhos vermelhos, teve de aumentar as entradas dedicadas a Portugal. Se o turismo se mantiver, vai ser sempre a abrir, uma vez que há negócio. Mas não pode ser tudo de uma vez, vamos ter de nos pendurar na Espanha provavelmente para sempre...Temos muito menos restaurantes (somos um país pequeno) e começámos com isto do turismo a sério já a Espanha comia turistas com côdea há muito tempo.

Apesar do ocasional desprezo que de vez em quando os mais sobranceiros dedicam ao guia, o certo é que ele enche restaurantes.

Agora olhando para a lista constatamos que todos os restaurantes são de cozinha de autor. Claro que isso é muito bom para nós, já que levaram bastante tempo a aparecer em número significativo e a ter massa crítica de portugueses. O que me confunde é que não há sequer unzinho de cozinha tradicional portuguesa, ou regional.

Pergunto eu, será por falta deles com qualidade estrelável? Penso que não, que os há e bons, talvez não na quantidade que pensamos. Nós tugas que tanto nos gabamos da qualidade e diversidade das nossas cozinhas regionais não temos nem um destes restaurantes estrelado? Dá que pensar.

 

 

Lisboa

1 estrela

Alma (Henrique Sá Pessoa)

Eleven (Joachim Koerper)

Feitoria (João Rodrigues)

Fortaleza do Guincho (Miguel Rocha Vieira)

LAB by Sergi Arola (Sergi Arola/Milton Anes)

Loco (Lisboa, chef Alexandre Silva)

 

2 estrelas

Belcanto (José Avillez)

 

Porto e Norte

1 estrela

Antiqvvm (Vítor Matos)

Casa de Chá da Boa Nova (Rui Paula)

Largo do Paço (André Silva)

Pedro Lemos (Pedro Lemos)

2 estrelas

The Yeatman (Ricardo Costa)

 

 

Algarve

Bon Bon (Rui Silvestre)

Henrique Leis (Henrique Leis)

São Gabriel (Leonel Pereira)

Willie’s (Willie Wurger)

2 estrelas

Ocean (Hans Neuner)

Vila Joya (Dieter Koschina)

 

Alentejo

L’And (Miguel Laffan)

 

Madeira

1 estrela

William (Luís Pestana/Joachim Koerper)

 

 

2 estrelas

Il Gallo d’Oro (Benoît Sinthon)

 

 

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    conversasamesa 08.12.2016

    Duarte, conheço vários restaurantes regionais ainda com estrela, mas de facto estão a perder terreno.
  • Comentar:

    CorretorMais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.