Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas à Mesa

PORTUGAL DE NORTE A SUL NO TIVOLI

 

 O Hotel Tivoli da Av. da Liberdade propõe ao longo dos próximos dois anos uma volta a Portugal através das nossas regiões sem sair do restaurante Terraço. Será para aqui que estarão representadas as várias regiões através de comeres, vinhos, doçaria, artesanato. 

 

Apesar de pequeno em tamanho, Portugal tem uma gastronomia rica e várias cozinhas regionais diferenciáveis. Todos concordamos com isso. No entanto, se eu vos pedir para fazer um exercício simples e nomear três pratos típicos de uma região que não seja a nossa talvez haja algumas dificuldades. Por vezes distinguimos-nos mais pelo que não comemos do que pelo que comemos.

 

Mas o mais importante não é nomear pratos típicos, mas sim perceber que a identidade regional se forma sobretudo através dos produtos da região, das raças autóctones e do saber fazer das gentes. São esses os fatores que criam a identidade, os factores que as tornam vivas e as impedem de se tornar meros estereótipos destinados ao consumo turístico. As cozinhas regionais estão bem vivas e sempre em transformação.

 

 

 

 

Mais do que nunca o turismo, interno ou externo, procura as cozinhas autênticas da região. Mais do que nunca, a cozinha contemporânea inspira-se nesses produtos e nesses saberes. E como a cozinha regional não se limita a pratos ou a receitas, trouxemos até Lisboa não apenas os pratos típicos mas também os produtos e as gentes com o seu saber fazer.

 

 

 

Neste primeiro evento dedicado à região do Porto, o Tivoli trouxe a Casa Inês e a própria Inês, a Nieport e os seus vinhos do Douro, e a doçaria da Confeitaria da Ponte, de Amarante. 

Com o apoio de toda a equipa do Tivoli, nomeadamente da cozinha dirigida pela chef Adelaide, o restaurante Casa Inês, do Porto, vai cozinhar no Tivoli ao longo de 10 dias vários dias, a partir de amanhã dia 3 de Abril.

Do menu constam os célebres filetes de polvo com arroz do mesmo, o portuense bacalhau à Gomes de Sá, o cachaço de vitela e o cabrito assado, além de entradas (pastéis de bacalhau, tripas à moda do porto, petingas) e sobremesas (a oncontornável aletria e rabanadas). Para sobremesa teremos ainda lérias, foguetes, amarantinos, papos de anjo e são gonçalos. O vinho é do Douro (Nieport)  com uma novidade da casa: um recém criado verde tinto. A escolha dos restaurantes e produtores está a meu cargo.

 

 

 

 

 

 

 

 

As fotografias são do almoço de lançamento do evento para os media e da autoria do Mário Cerdeira.  

Em Maio teremos uma nova  região, a riquíssima cozinha do Alentejo pela mão de José Julio Vintém, do restaurante Tomba Lobos.

 

 

 

 

 

 

 

 

1 comentário

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.