Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas à Mesa

VIAJE COM TEMPO NOS FERIADOS DE JUNHO: TOMAR

IMG_0934.JPG

 

Imagine que há uma região que lhe pede para a visitar com mais tempo e em contrapartida lhe oferece experiências gratuitas e com descontos e que ainda lhe proporciona um site onde pode reservar o alojamento e encontrar todas essas actividades bem organizadas e à distância de um clique.

Trata-se do programa STAYOVER FÁTIMA-TOMAR (veja o link aqui) que engloba treze municípios da região do Médio Tejo (Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Sertã, Tomar, Torres Novas, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha). Em qualquer delas, quem ficar duas ou mais noites numa unidade de alojamento, entre 15 de Abril e 15 de Setembro, vê-se recompensado com pontos que podem ser trocados por experiências gratuitas ou descontos exclusivos. A única coisa que tem de fazer é efectuar na reserva do alojamento aqui.

 

IMG_4854.JPG

Uma das entradas do Convento de Cristo.

 

IMG_4859.JPG

A célebre janela do Convento de Cristo, com muitos simbolos templários. Ate se diz que os novos tabuleiros (em altura, datados do século XVI) se inspiraram nos botaréus desta janela.

IMG_4856.JPG

A charola, que servia de oratorio aos Templários, está linda depois das obras que duraram vários anos.

 

_LIS9023.jpg

O castelo templário de Tomar, construído sobre o castelo de Ceras, doado por D. Afonso Henriques.

 

O dia seguinte foi todo dedicado a esta cidade atravessada pelo rio Nabão, que a enfeita com os chorões e salgueiros. Tomar é para mim um local muito especial, cheia de história, mas onde podemos simplesmente andar ao acaso pelas ruas e sentirmo-nos felizes.

Não se pode ir a Tomar sem nos ligarmos ao mundo dos Templários. Visitar o Convento de Cristo, o castelo e as igrejas, é obrigatório, mas para podermos tirar todo o partido, o ideal será levar um guia que sabe tudo sobre a cidade e as histórias dos Cavaleiros Templários, ordem encerrada por D. João III e transformada na Ordem de Cristo. Acreditem que faz toda a diferença. A minha recomendação vai para o João Fiandeiro, da empresa Caminhos da História (aqui), com quem fiquei a saber, por exemplo, que D. João III terá construído uma parte do Convento para tirar protagonismo à célebre janela construída pelos Templários e prenhe da sua simbologia. As obras da charola (de forma circular e influência das terras onde os Templários se tinham deslocada nas Cruzadas, era o seu local de oração) já terminaram, mas há muito mais para ver no Convento de Cristo para além desta rotunda e da célebre janela. Castelo e charola foram obra do já referido Gualdim Pais.

 

 

IMG_4869.jpg

Igreja de Santa Maria dos Olivais

 

 

IMG_4876.JPG

Pedra tumular de Gualdim Pais,  de Igreja de Santa Maria dos Olivais

 

 

IMG_4875.JPG

 

 

Tomar renovou-se nos anos 50, com a conclusão, em 1951, da barragem hidro-eléctrica de Castelo do Bode. É em 1950 que João dos Santos Simões recuperou a antiquíssima Festa dos Tabuleiros, tornando-a a mais famosa das celebrações do Espírito Santo. Estas celebrações têm origem em antiquíssimos rituais pagãos, cristianizados pelos Templários. Hoje, a Festa dos Tabuleiros tem lugar de 4 em 4 anos, ou quando o povo reunido em assembleia acha que deve acontecer. Para saber mais, dirigi-me a uma junta de freguesia para falar com Maria João Lima Morais, a mordoma da festa deste ano (que vai acontecendo quase todos os domingos após a Páscoa, com saídas parciais de coroas e pendões, mas que terá o seu clímax no dia 7 de Julho com a parada completa (ver calendário e mais informação aqui). À porta, estavam várias raparigas que vinham buscar tabuleiros do ano anterior para treinar. Transportar um tabuleiro na Festa é uma honra e um estatuto transversal a todas as classes sociais. Na véspera à noite da abertura das inscrições, já se estende uma gigantesca fila de mulheres, sobretudo de jovens. Mas transportar um tabuleiro à cabeça sobre uma rodilha é também uma prova de coragem e resistência. Cada um pesa entre 15 e 18 kg e, nas ruas mais abertas ao vento, pode tornar-se um pesadelo devido à altura, que deverá ser a mesma da mulher que o carrega...São as mulheres e o pão que representam a fertilidade das colheitas, e os homens são meros coadjuvantes no cortejo, sempre prontos para ajudar em qualquer momento de mais aflição.

O percurso abrange cerca de cinco quilómetros, sempre rodeados de multidões. As varandas que não são para os proprietários alugam-se por várias centenas de euros para ver passar o cortejo, sobretudo as da Praça da República onde, no momento de mais emoção, os tabuleiros são bentos frente à igreja de S. João Baptista e levantados acima da cabeça ao terceiro toque do sino. As ruas por ode circulam os tabuleiros estão profusamente decoradas com tapetes e arcos de flores de papel, feitas pela população ao longo dos meses que precedem as festividades.

 

 

IMG_0916.JPG

 

IMG_0931.JPG

Os tabuleiros são quase todos feitos nas juntas de freguesia, e demoram muito tempo a montar.

O nome de tabuleiro que ainda hoje designa aquela torre de pão e flores tem origem no seu antigo formato horizontal. Actualmente, a esmagadora maioria dos tabuleiros é montado pelas juntas de Freguesia. Fui testemunha de que a tarefa é morosa e requer uma técnica eficaz de montagem para que a estrutura fique sólida. O cesto de vime é a base de tudo: ali são entrosadas as cinco canas que formam a sua estrutura vertical e onde vão ser enfiados os pães. Estes pesam cerca de 400 g cada e não podem estar demasiado duros nem demasiado moles, a fim de poderem ser empalados nas canas sem se desfazerem. Toda a estrutura é fortalecida por arames que rodeiam as canas, decorada com fitas de flores de papel, em geral papoilas, e espigas de trigo e encimadas pela cruz de Cristo ou pela pomba do Espírito Santo.

No dia 7 de Julho, uma festa cheia de cor e simbolismo a não perder em Tomar.

Para almoçar ou jantar em Tomar, recomendo a Casa Matreno ou a Casa das Ratas (a experimentar, as iscas ou o arroz de pato, ambas do mesmo proprietário, ou a Lúria (fora de portas).

 

Tomar

 

Visitas guiadas

Caminhos da História – Turismo Cultural

João Fiandeiro

Tel: 916 298 183

 

Hotel dos Templários

Largo Cândido dos Reis 1

2300-326 Tomar

Tel: 249310100
E-mail: geral@hoteldostemplarios.pt

Para beneficiar da promoção Stayover de duas ou mais noites faça a reserva directamente no hotel

 

 

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.